arraia-malacacheta
arraia-malacacheta

Houve um tempo em que a cada fim de semana, uma de nossas Escolas patrocinava, nos sábados de Junho, uma animada quadrilha.

jesus-raslan-malacacheta
jesus-raslan-malacacheta

Uma nuvem de poeira se levanta ao longe na estrada. Não é assim densa. Também ainda não é intenso o blem blem de cincerros e polacos. Vão se adensando aos poucos, poeira e som, enquanto as dezenas de animais das tropas de GERALDO RASLAN se aproximam da cidade.

fogo-simbolico--malacacheta
fogo-simbolico--malacacheta

O ano de 1972 foi o ano de comemoração do Sesquicentenário da Independência do Brasil e do Cinquentenário da Emancipação de Malacacheta.

jesus-raslan
jesus-raslan
Continuemos com nossos olhos e ouvidos do passado pelas imediações da rodoviária.

memoriais-jesus-raslan
memoriais-jesus-raslan
Depois de uma tranqüila viagem de trem e uma exaustiva jornada a cavalo, SULA PIMENTA, ETELVINA GUEDES, TEREZA PRATES, TEREZA ABRANTES e TEREZINHA RASLAN, nossas normalistas de então e nossas mais antigas professoras, chegavam à cidade.
Estavam de férias. Pelo resto do dia, receberiam a visita de amigos e parentes, fariam um footing para matar as saudades e à noite...

jesus-raslan.jpg
jesus-raslan.jpg

Ah, a geografia das cidades! Quanta coisa transforma, quantas coisas oculta e quantas pode revelar!
A geografia humana é clara quanto ao trânsito das pessoas.

Há os que chegam e se fixam com suas atividades. Acabam se tornando naturais da terra. Da mesma forma, há os naturais da terra que se foram em busca de oportunidades melhores. Deixaram suas saudades e levaram as lembranças que fazem de Malacacheta uma terra inolvidável.

Houve um tempo em que pessoas batizadas como Antônio, João, Pedro ou Ana clareavam nossa cidade com a luz de inúmeras fogueiras.

Acendiam-nas comemorando a data do Santo xará e reuniam, à sua volta, parentes e amigos. Não faltavam as comidas típicas da ocasião: canjica, batata-doce, milho verde, quentão, etc..

Topo
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com