saniele-fono-malacacheta

Toda pessoa possui uma voz única que além de instrumento de comunicação, carrega traços de sua faixa etária, sexo, personalidade e estado emocional.

Entretanto, para outros, ela representa muito mais do que isso. Profissionais como professores, cantores, locutores, telefonistas e outros profissionais têm na voz uma imprescindível ferramenta de trabalho e precisam ficar atentos aos cuidados que devem adotar para não prejudicá-la.
É verdade que todas as pessoas devem preservar sua voz. Quem nunca saiu rouco de um show da sua banda favorita ou do estádio de futebol? Mas quando se utiliza a voz como instrumento de trabalho as alterações vocais acontecem com maior frequência.
O som que produzimos vem do ar que expiramos dos pulmões. Resumindo o processo, esse ar passa pelas pregas vocais na laringe, que vibram e o transformam em pulsos sonoros. Quando existe um problema nas cordas vocais, essa vibração se torna defeituosa, o que é chamado de disfonia e a ausência de produção da voz refere-se à afonia.
A maioria dos problemas é devido a abusos vocais e mau uso da voz, podendo assim causar lesões como o aparecimento de nódulos vocais, cistos intracordais, edemas e fendas glóticas.
O médico otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo verificam se o profissional está utilizando a voz adequadamente, fornecem orientações preventivas, além de avaliar e tratar patologias já existentes. Vale lembrar que o tratamento precoce é sempre o mais rápido, podendo ainda poupar o profissional de uma cirurgia. Por ser um valioso instrumento de trabalho, além de reflexo de nossa saúde física e mental, a voz merece atenção e cuidados especiais.

CUIDADOS COM A VOZ:
  • ► Fale sem esforço e articule bem as palavras.
  • ► Beba água regularmente, em pequenos goles, durante todo o dia e principalmente enquanto usa a voz.
  • Como maçã e frutas cítricas.
  • Mantenha uma boa postura física ao falar ou cantar.
  • Use roupas confortáveis.
  • Procure reduzir a quantidade de fala durante quadros de gripe, alergias e período menstrual.
  • Evite falar por longos períodos, principalmente em lugares ruidosos.
  • Evite pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas.
  • Evite ingerir leites e derivados, bebidas gasosas e chocolates, antes de usar a voz.
  • Evite álcool, cigarros e drogas.
  • Faça exercícios de aquecimento antes do uso da voz e desaquecimento após o uso.
  • Pratique atividade física e durma bem.
  • Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro ou rouquidão.

É importante ressaltar que as recomendações, embora gerais, devem ser individualizadas e adaptadas para cada pessoa.

Saniele Rodrigues de Alvarenga
Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Metodista de São Paulo, 
especialista em Distúrbios de Fala e Linguagem,
pós-graduanda em Transtorno do Espectro Autista.


Referências Bibliográficas:
BEHLAU, M; PONTES, P. Higiene Vocal: Cuidando da Voz. 3.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.
FERREIRA, LP. Assessoria Fonoaudiológica aos Profissionais da Voz. In: FERREIRA, LP; BEFI-LOPES, DM; LIMONGI, SC. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca, 2004.

0
0
0
s2sdefault
Topo
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com